O despertar espiritual é um processo que traz inúmeras mudanças para a nossa vida. O cuidado com o corpo começa a se tornar cada vez mais forte dentro de nós. Uma atenção que ultrapassa as camadas externas e vai além, preocupações em relação à alimentação, à atividades físicas, atividades de relaxamento e inúmeras outras. Começamos a observar se estamos dando ao nosso organismo os subsídios necessários para que ele opere em sua plenitude. Essas mudanças são reflexos do que já está ocorrendo internamente; o entendimento de que há uma conexão entre tudo e de que uma parte não existe isolada, sem sofrer ou causar impacto nas demais.

O bem estar físico e espiritual é uma questão que não está separada, mas sim conectada. Todos estamos compenetrados com nossos corpos mais sutis e habitando este corpo material nesse momento da experiência terrena. Com esse entendimento mais aflorado, a atenção com a manutenção e prevenção em todos os aspectos, inclusive o físico, começa a fazer parte do cotidiano de todos nós.

É importante observar que as atividades de movimentação corporal são tão relevantes quanto nos dedicarmos aos estudos sobre a expansão consciencial. Quando movimentamos o corpo, estamos movimentando nossas energias e liberando estagnação energética em determinados locais do organismo, como as juntas.

Para muitos pode ser bastante desafiador iniciar uma prática que movimente o corpo, principalmente porque trata-se de uma mudança ou criação de um novo hábito. Por esse motivo, resolvi compartilhar com vocês o material abaixo, que conforme as Publicações de Saúde da Universidade de Harvard (Harvard Health Publishing – Harvard Medical School) não importa a sua idade ou nível de preparo físico, essas atividades podem auxiliá-lo a movimentar o corpo e diminuir o risco de doenças:

Segundo a Harvard Medical School, estes exercícios ajudarão a manter seu peso sob controle, melhorarão seu equilíbrio e amplitude de movimento, fortalecerão seus ossos, protegerão suas articulações, evitarão problemas de controle da bexiga e até mesmo evitarão a perda de memória. Veja o que diz a Escola de Medicina de Harvard sobre essas atividades:

1. Natação

A natação muitas vezes pode ser a atividade perfeita para quem possui tensões nas articulações. A flutuação na água sustenta o corpo e tira a tensão das articulações doloridas para que se possa movê-las com mais fluidez. “A natação é boa para indivíduos com artrite porque tem menos peso”, explica o Dr. I-Min Lee, professor de medicina na Harvard Medical School.

Uma pesquisa descobriu que a natação também pode melhorar seu estado mental, deixando-o com um humor melhor. Aeróbica aquática é outra opção.

2. Tai chi

Esta arte marcial chinesa que combina movimento e relaxamento é bom para o corpo e para a mente. De fato, tem sido chamado de “meditação em movimento“. O tai chi é composto de uma série de movimentos graciosos, onde o inicial transita suavemente para o próximo. Como as aulas são oferecidas em vários níveis, o Tai Chi é acessível – e valioso – para pessoas de todas as idades e níveis de aptidão física. “É particularmente bom para pessoas mais velhas porque o equilíbrio é um componente importante do condicionamento físico, e o equilíbrio é algo que perdemos à medida que envelhecemos”, diz Lee.

Faça uma aula para ajudar você a começar e aprenda a forma adequada. Você pode encontrar programas de Tai Chi em clubes de saúde, centros comunitários ou centros voltados às práticas holísticas. Atutalmente o Tai Chi foi incluído nas Práticas Integrativas Complementares do SUS (PIC), então vale a pena conferir no seu município se já disponibilizam essa prática para a sociedade.

Tais Chi combina movimento e relaxamento é bom para o corpo e para a mente. “Meditação em movimento.”

3. Treinamento de Força

O treinamento de força não é uma atividade exlcusivamente masculina, como muitos pensam. Levantar pesos leves não aumentará os músculos, mas os manterá fortes. “Se você não usar o seus músculos, eles vão perder a força ao longo do tempo”, diz Lee.

O treinamento de força também pode ajudar a preservar a função cerebral em anos posteriores.

Antes de iniciar um programa de treinamento com pesos, certifique-se de aprender o formulário adequado. Comece aos poucos, com apenas um ou dois quilos. Você deve ser capaz de levantar os pesos 10 vezes com facilidade. Depois de algumas semanas, aumente um pouco o peso. Se você puder levantar facilmente os pesos em toda a amplitude de movimento mais de 12 vezes, suba para um peso ligeiramente maior. *Lembre-se de realizar as atividades com o acompanhamento de um profissional adequado, principalmente nos casos de atividades mais específicas.

4. Caminhada

Caminhar é um ato muito simples, mas igualmente poderoso. Uma simples caminhada pode ajudá-lo a manter-se em bom estado, melhorar os níveis de colesterol, fortalecer os ossos, manter a pressão arterial sob controle, elevar seu humor e diminuir o risco de várias doenças (diabetes e doenças cardíacas, por exemplo). Diversos estudos demonstraram que a caminhada e outras atividades físicas podem até melhorar a memória e resistir à perda de memória relacionada à idade.

Tudo o que você precisa é de um par de sapatos bem ajustado e de vontade. Comece andando por cerca de 10 a 15 minutos de cada vez. Com o tempo, você pode começar a andar mais e mais rápido, até que esteja caminhando por 30 a 60 minutos na maioria dos dias da semana.

5. Exercícios de Kegel

Esses exercícios fazem algo consideravelmente importante – fortalecem os músculos do assoalho pélvico que sustentam a bexiga. Os músculos fortes do assoalho pélvico podem ajudar muito na prevenção da incontinência. Apesar de muitas mulheres estarem familiarizadas com Kegel, estes são exercícios que também podem beneficiar muito os homens.

Para fazer um exercício de Kegel corretamente, aperte os músculos que você usaria para evitar a passagem de urina ou gases. Segure a contração por dois ou três segundos e solte. Certifique-se de relaxar completamente os músculos do assoalho pélvico após a contração. Repita 10 vezes. Tente fazer quatro a cinco séries por dia.

Muitas das coisas que fazemos por diversão (e trabalho) contam como exercício. Limpar o quintal conta como atividade física. O mesmo acontece com a dança de salão ou brincar com os filhos e netos. Desde que você faça alguma forma de exercício aeróbico por pelo menos 30 minutos por dia, e inclua dois dias de treinamento de força por semana, pode-se considerar uma pessoa “ativa”.

Esses são alguns exercícios simples e que podem ser incluídos em nossa rotina de forma mais tranquila. Talvez o grande obstáculo seja justamente este; criar um hábito novo. Temos a tendência a manter o padrão que realizamos há anos e mudá-lo exige disciplina e força de vontade. Segundo a filosofia Chinesa Kaizen, mudanças de hábitos devem ser introduzidas devagar e com sabedoria. Devem ocorrer como resultado de nossas reflexões internas e experiências de vida. Comece praticando alguma coisa nova todos os dias, no mesmo horário, aos poucos e vá aumentando gradativamente.

Espero que tenham gostado, compartilhem com os amigos por e-mail e nas redes sociais abaixo.

Grande abraço a todos, sempre muito amor no coração e muito cuidado com a morada da nossa alma.

Cuide de você!


Referência: Harvard Health Publishing


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *