Desde que os sintomas da projeção astral voltaram a me ocorrer de forma muito intensa, comecei a mergulhar num mundo de conhecimentos e busca por algo que eu nem mesmo sabia ao certo o que era. Ainda busco, considero-me ainda uma “buscadora”, mas com a plena tranquilidade de quem percorre um caminho sem volta, uma estrada mais clara, com mais sentimentos de tranquilidade quando comparada aos percursos dos quais eu estava acostumada a percorrer minha vida toda.

A vida é muito mais do que apenas tentar não ter medo. Viver o medo de se encontrar, em muitos casos é justamente o que mantém muitos de nós no mesmo lugar, com as mesmas atitudes, vivendo um processo travado todos os dias.

E quando você chega no final desta experiência que chamamos de vida?

E quando você chegar lá, o que terá feito e sentido em prol de viver experiências melhores, com menos rancor e mais amor?

Tudo começou com a projeção astral, mas o intuito maior e a grande descoberta é falar, sentir e praticar a espiritualidade. Uma espiritualidade diferente dos dogmas, aqueles com dias certos para executar certas práticas e rotinas, que no final se tornam apenas obrigações vazias e sem sentido para a melhoria interna. A espiritualidade da ação, que emana do sentimento e dos pensamentos. A espiritualidade do julgar menos o que vemos nos outros e observar mais o que sentimos. Que nossos olhos se voltem para dentro de nós, que consigamos de fato nos conhecer, e descobrir todo o nosso potencial para o bem e para o amor.

Clique aqui para visualizar na página do youtube os outros vídeos que publiquei sobre projeção astral e espiritualidade no dia a dia.

Paz e luz!

Mais Conteúdo nas Redes Sociais. Compartilhe! 😉👍 💞

  facebookpng  instagrampng    twitterpng

Voltar para a página inicial.


2 comentários

Matheus Alexandre Siebra · 30/03/2017 às 16:59

A projeção nos faz ver que a verdadeira espiritualidade vem de dentro de nós.
Conhecer a si mesmo é um grande passo em caminho ao eterno.

    Érica · 09/04/2017 às 18:06

    Sim, não está em crenças ou em construções, mas dentro de cada um de nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *