Curso intermediário de projeção, viagem astral, gravado somente em áudio, pelo estudioso sobre o assunto, Saulo Calderon. Neste áudio o tema é catalepsia projetiva, hipnagogia, dimener e volitação astral.

*Ressalto que aqui possui parte do que foi falado no áudio e também alguns pontos acrescentados por mim. Para as pessoas que se interessam de fato pela projeção astral, sugiro fortemente ouvirem todos os áudios, pois muito do que foi explicado de forma detalhada não foi redigido no post. Acesse o curso intermediário no site do próprio Saulo, o Grupo Viagem Astral.

Saulo menciona no início sobre a importância de estudar, pois recebem muitas perguntas básicas, onde percebem a falta de estudo e de aprofundamento por parte das pessoas.

Catalepsia Projetiva

Caso você ainda não tenha uma certa base sobre esses conhecimentos, é importante verificar no curso básico de projeção da consciência sobre a catalepsia projetiva e vários outros conhecimentos iniciais e importantes que foram descritos lá.

O termo catalepsia vem do Grego “katalepsis” que significa surpreender. A catalepsia projetiva é um estado psicofísico, caracterizado pelo enrijecimento dos membros onde o corpo adormece e a consciência se mantém desperta, lúcida, ou seja, a pessoa fica impossibilitada de mover o corpo físico e tem ciência dessa falta de controle. Nesse momento, o corpo físico praticamente adormece e como a consciência não faz parte totalmente integrante do corpo físico, esta se mantém ativa.

O fenômeno da catalepsia projetiva ocorre com inúmeras pessoas e a maior parte delas apresentam medo durante as experiências, uma vez que trata-se de algo não muito esclarecido e a falta de conhecimento nos leva ao pânico perante determinados fenômenos comuns, mas não muito explorados.

Normalmente, as catalepsias ocorrem muito durante as primeiras experiências do projetor. Não significa que deixaram de ocorrer, mas o mais comum é que ocorram em maior quantidade no início das vivências por parte do projetor.

Catalepsias Projetivas e a Viagem Astral

Como a catalepsia projetiva é um estado que normalmente precede as projeções, estar em catalepsia é praticamente estar há um passo de uma viagem astral. Para alguém que se prepara, já estudou sobre o assunto, mantém práticas energéticas, cuida dos pensamentos e ações, raramente vai ficar preso na faixa de atividade do cordão de prata.  Apesar da catalepsia ocorrer anteriormente às projeções, elas também podem vir a acontecer após uma viagem astral, quando o corpo astral retorna e se encaixa no corpo físico.

Dificuldade Para Projetar-se Durante a Catalepsia Projetiva

Caso ocorra alguma dificuldade em sair do corpo (projetar-se) durante uma catalepsia projetiva, este processo ocorre devido alguns fatores, alguns destes são:

Saulo comenta no áudio sobre o processo de desencarne de uma pessoa, que podem ocorrer as sensações da catalepsia, o indivíduo ter plena consciência de que está ali, mas não consegue ser visto, nem ouvido por ninguém. Em alguns casos, devido às energias mais densas, também poderá ver alguns seres desencarnados em desequilíbrio, que se mantém naquela faixa menos sutil. E sabendo-se desse processo e dessa possibilidade, todos podemos nos preparar para essas experiências, antes mesmo que elas ocorram, pois temos tempo para estudar e nos prepararmos principalmente mentalmente, cuidar dos pensamentos, sentimentos e ações.

Sensações Durante a Catalepsia Projetiva

Durante a catalepsia, podemos presenciar algumas sensações, tais como:

  • Sentir o corpo espiritual afundar na cama ou subir;
  • Sentir o corpo espiritual escorregar para o lado;
  • Sentir a movimentação das pernas e braços espirituais, pois estes se desprendem muito mais fácil, por não existir nenhum chacra muito forte nessas áreas;
  • Elevação, decolagem, saída do corpo espiritual para cima;
  • Trendelenburg extrafísico, onde todo o corpo astral se solta e somente a cabeça fica presa na cabeça do corpo físico;
  • Sensação de não respirar ou respiração mínima.

Como Sair da Catalepsia Projetiva

Para sair da sensação de catalepsia, deve-se tentar movimentar uma pequena parte do corpo como a pálpebra, os lábios, um dedo, a ponta da língua ou até mesmo respirar mais profundamente. A sensação de dificuldade ao tentar realizar essas ações continuará, pois o corpo nesse momento está em estado de sono profundo.

Hipnagogia

Vem do Grego “hypnos” (son0) + “agogôs” (condutor). Trata-se de uma condição crepuscular de transição da consciência, que ocorre mais ou menos entre o sono e a vigília. Trata-se de um estado alterado de consciência, e início de um sono natural. Durante este processo temos visões, imagens oníricas, efeitos visuais e diversas sensações energéticas. É um estado rico em experiências parapsíquicas.  Trata-se de um estágio que pode vir a ocorrer sem as técnicas que trabalham as energias, mas irão ocorrer muito mais intensidade no indivíduo que trabalha e cuida das suas energéticos.

Os fenômenos hipnagógicos parecem ser ocasionados pela luta entre duas forças antagônicas (contrárias). Seria o cérebro relaxado, querendo dormir, e a consciência no esforço de se manter lúcida. como a consciência não consegue mais manter-se lúcida naquele cérebro que está baixando as ondas, então ela passa para o cérebro que pode atuar naquele momento, que seria o cérebro do corpo astral. E é justamente essa passagem que é chamado estado de hipnagogia, pois a consciência pode ficar oscilando entre um cérebro e outro. Também ao fazer essa passagem, nem sempre consegue-se manter totalmente a lucidez, e alguns autores inclusive mencionam que este estado pode ser comparado à uma alucinação. Como a consciência está se mantendo lúcida e o cérebro físico adormecendo, ocorrem variações de localização da consciência entre um veículo e outro (cérebro físico x “cérebro astral”), sendo assim, é comum ocorrerem situações e visões distorcidas e mal compreendidas.

A consciência deve lutar para não entrar na inconsciência.

Quando o corpo começa a dormir, a sensibilidade para perceber as sensações energéticas e espirituais aumentam muito. Imagens vão vir à mente, sentimentos etc. Algumas dessas ocorrências são:

  • Vidências, visão de figuras de rosto perfeitas;
  • Visualização de várias faces diferentes, além de vozes e frases;
  • Imagens e visões além do ambiente físico que se está;
  • Imagens de pessoas desconhecidas;
  • Sensações energéticas, como um choque indolor;
  • Sensações de frio ou calor no corpo todo ou em uma parte específica;
  • Sensação de falsa queda;
  • Espasmos musculares, movimentos abruptos;
  • Movimentos repetidos como olhos se movendo;

Duração do Estado Hipnagógico

Segundo as pesquisas que foram realizadas em laboratórios voltados ao estudo do sono, o estado hipnagógico começa na primeira fase do sono natural e pode durar alguns segundos ou se prolongar por até 15 minutos. Nesse estágio ocorre a elevação das pupilas em direção ao alto da cabeça. O movimento ocular feito após as técnicas energéticas provoca facilmente o estado de hipnagogia e inclusive é muito usado nas práticas de yoga e técnicas de expansão da mente e controle da mental.

As Ondas Cerebrais e o Estado de Hipnagogia

Em relação as ondas cerebrais, temos as seguintes:

  • Ondas Alfa – também chamada de ritmo de alfa, ritmo de berguer ou onda alfa. Refere-se ao estado de alerta passivo ou de meditação leve ou superficial. Geralmente se faz presente quando as pálpebras estão descerradas;
  • Ondas Beta – que corresponde ao estado de vigília, ou seja, acordado. Possui entre 14 e 30 ciclos por segundo. Nesse tipo de onda ocorrem todos os tipos de atividades intelectuais do cérebro físico;
  • Ondas Teta – estas possuem entre 4 e 7 ciclos por segundo, são ondas relativas à meditação profunda. Acredita-se que constituem a frequência da atividade mental criativa, quando a pessoa induz-se a um profundo estado de alteração da consciência. Citando um exemplo, seria como quando alguém não consegue resolver um problema e essa pessoa vai deitar-se, ao relaxar a solução aparece. Esse seria o período de estágio nas ondas teta, onde consegue-se ativar o lado criativo do cérebro e até receber/identificar as intuições de forma muito mais intensa;
  • Ondas Delta – estão entre 0,5 e 3 ciclos por segundo, são mais baixas e predominam num estágio de sono profundo.

Todas as pessoas que apresentam ondas testas em grande quantidade no período em que se preparam para o experimento da projeção, normalmente relatam experiências lúcidas logo em seguida. Sendo assim, quem consegue gerar e controlar as ondas tetas consegue sair do corpo de forma lúcida e manter a consciência mais presente. Para quem não possui essa particularidade e adormece rapidamente existe uma técnica que pode auxiliar:

Deite-se de barriga para cima, relaxe fisicamente, trabalhe as energias com as técnicas energéticas, tudo conforme já aprendeu nos cursos até agora (curso básico e curso intermediário de projeção da consciência). E quando perceber que está começando a dormir, erga um dos antebraços e deixe-o descansando no cotovelo. Cada vez que a consciência começar a cair no sono, o antebraço irá cair e você com a sensação desse movimento irá acordar. Isso evitará o sono e prolongará o estado de hipnagogia, ou pelo menos a percepção desse estado. Dessa forma, poderá ocorrer a saída do corpo de forma consciente.

Sobre essa técnica, para quem se interessar, existe um vídeo do Luiz Roberto Mattos, explicando como ele utilizou essa técnica ao praticar as suas primeiras saídas do corpo de forma consciente. Clique aqui para assistir.

Sensações Durante a Hipnagogia

Durante esse estado, pode-se sentir inúmeras sensações, algumas delas são:

  • Altoscopia projetiva, interna e externa, trata-se da capacidade do indivíduo de ver ou sentir a si mesmo, diretamente diante de si, conservando a consciência vígil, sem o auxílio de nenhum recurso físico para tanto. No estado hipnagógico é possível ver os órgãos de seu corpo astral ou corpo físico, e muitos inclusive conseguem ver doenças e algo mais sério que o corpo possa ter ou vir a ter;
  •  Clarividência viajora;
  • Catalepsia projetiva;
  • Dejaísmo projetivo;
  • Cosmoconsciência;
  • Intuição;
  • Precognição
  • Retrocognição;
  • Visão panorâmica;
  • Autopsicofonia;
  • Meia materialização de clarividência;
  • Efeito físico, que seria a telecinesia, a movimentação de algum objeto dentro do quarto;
  • Telepatia;
  • Estado vibracional;
  • Chuva energética (fria ou quente) no corpo todo ou em partes dele;
  • Sensações de agulhadas (indolor);
  • Coceiras;
  • Telepatias
  •  Formigamento;
  • Consciência dupla, dentre outros.

Após a hipinagogia, caso não consiga manter a consciência lúcida, pode-se passar para um sonho, ou para a projeção, no caso da manutenção da lucidez em todo o processo.

Dimener – Dimensão Energética

Dimener é a junção de duas nomenclaturas: dimensão energética.

A dimener situa-se na frequência energética. Tratam-se das energias que ficam na dimensão energética. O corpo físico está numa frequência energética diferente da frequência do corpo espiritual (astral) e não possuem acesso a frequência um do outro. Nesse caso, a dimener (dimensão energética, frequência energética) realiza o intermédio entre os dois corpos. E para realizar a separação desses dois corpos, deve-se mexer nessa frequência energética intermediária (trabalhar/movimentar as energias).

Você nunca esteve na dimensão material, quem está na dimensão material é o corpo físico. Você está encaixado no corpo mental (que está na dimensão que lhe compete, a mental), que está encaixado no corpo espiritual (situado na dimensão que lhe compete, a astral), que está encaixado nas energias (situada na dimensão que lhe compete, a dimener), que está encaixada no corpo físico (situado na dimensão que lhe compete, a física). Temos apenas a sensação de estarmos na matéria, mas o corpo espiritual está na dimensão que lhe compete e a única forma de sair do corpo é sempre movimentar o que liga o corpo espiritual ao corpo físico, ou seja, as energias.

Volitação Astral

Trata-se do processo de levitação astral, ou seja, voar fora do corpo. Não é possível voar facilmente na dimensão troposférica, a não ser que haja um intenso trabalho energético, e mesmo assim, após toda essa sutilidade, o projetor já é levado/atraído para zonas mais sutis, a não ser que haja algum trabalho de amparo espiritual.

Um dos processos mais comuns para abrir a lucidez fora do corpo é quando nos percebemos voando ou quando temos alguma possibilidade de voo.

Uma das formas de sair de um assédio espiritual fora do corpo é voando. Os espíritos desequilibrados normalmente não conseguem volitar, mas o magnetismo deles pode prejudicar o voo do projetor, pela vontade de atrair o projetor e prejudicá-lo, porém com uma vontade firme e bem consciente, o projetor consegue sair e alçar voo facilmente.

Após algum trabalho de assistência fica mais fácil voar, pois as energias do projetor ficam ainda muito mais sutis, alcançando-se alturas e velocidades surpreendentes.

É possível voar com pessoas, animais, levar objetos extrafísicos ou espíritos no voo. Inclusive muitos vão pedir para voar, pois devido suas frequências e vibrações, alguns espíritos não conseguem voar. A realização dessa ação vai depender muito do projetor, de como se encontra sua vibração, seu estado de equilíbrio.

Chegamos no fim deste áudio! Espero que tenha sido de grande aprendizados para todos.

Muita paz e luz, até o próximo!

 

Deixe seu comentário logo abaixo! =)

Mais Conteúdo nas Redes Sociais. Assine! Curta! Compartilhe! Ajude a Divulgar Conteúdos de Amor! 😉

  facebookpng  instagrampng  twitterpng

 

Voltar para a página inicial.

 


Fonte: Grupo Viagem Astral – Curso intermediário de projeção astral 

Imagens utilizadas: Pixabay.com


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *