A Comunicação para o Equilíbrio dos Relacionamentos

Plante a semente da comunicação não-violenta e você verá uma mudança para melhor nos seus relacionamentos.

Segundo Marshall B. Rosenberg, autor do livro “Comunicação Não-Violenta”, é preciso que a comunicação empática passe por 4 fases fundamentais:

  1. Observar se a mensagem está sendo transmitida de forma compreensível através da fala ou de ações, e se há o que acrescentar para que ela seja aprimorada. Tudo isso sem julgamentos, apenas fazendo uso da observação.
  2. Entender cada sentimento gerado através dessa comunicação e nomeá-los, sem se identificar com eles. Você sente raiva? Tristeza? Se permita sentir.
  3. Reconhecer quais necessidades suas estão ligadas a esses sentimentos. Esse é um trabalho de autoconhecimento que, à medida em que você vai praticando, mais fácil fica.
  4. E por último, manifestar de forma clara, gentil e afirmativa os seus desejos. Ex.: “Fulana(o), eu me sinto muito triste quando eu estou falando com você mas você não está atento, olhando nos meus olhos. Me sinto ignorada e desrespeitada quando, nesses momentos, você apenas fica mexendo no celular. Para que eu me sinta sempre confortável em nossos momentos de troca, você pode me dar sua atenção nas próximas vezes? Dessa forma eu acredito que nós nos tornaremos ainda mais próximos.”

Assim como todo processo de mudança, se o intuito é que se torne um hábito, é preciso dedicação e vontade. Nesse caso, dos dois lados, para que funcione.

A tendência do ser humano é reagir impulsivamente a ações agressivas do outro – seja através da fala ou do físico, o que pode levar a uma situação prolongada de desentendimentos entre as partes. Esse é um extremo. O outro extremo é quando uma ou ambas as partes não comunicam seus desejos, suas frustrações, por medo de “perder” aquela pessoa ou de achar que ela vai ficar chateada, e para evitar conflitos.

É por causa de tudo isso que o caminho do meio é sempre o melhor. Você não precisa gritar para se fazer entender, assim como não deve se calar e manter relacionamentos falsos a fim de se manter numa “zona de conforto”. Em qualquer situação, chega uma hora em que além do convívio se tornar insustentável, as dores passam para além do emocional, elas vão para o físico.

Já aconteceu de você esperar uma atitude de sua(eu) companheira(o), não comunicar a ela(e) e ainda ficar irritada(o) quando a pessoa não atende às suas expectativas? Pode parecer óbvio para algumas pessoas, mas o outro lado da relação não tem como saber o que você quer, o que pensa, o que sente, se você não se abre, se não comunica com clareza. Por mais que se trate de uma relação de anos. O outro pode até ter uma ideia do que te acontece, mas ele não é você. A falta de comunicação clara e gentil abre brechas para maus entendidos e discussões nada construtivas, fazendo com que o desgaste do relacionamento se dê de forma progressiva.

O chakra laríngeo está em equilíbrio quando você expressa o que está em seu coração com amor e respeito. Quando é feito dessa forma, o outro recebe essa energia, o que facilita a forma como ele vai receber e devolver essa comunicação. É não esperar por uma ação mais positiva da outra pessoa, mas tomar a iniciativa você mesma(o).

*Assista esta aula complementar para entender mais sobre este chakra:

Informações sobre o Chakra Laríngeo

  • Nome em sânscrito: VISHUDDHA, que significa “o grande purificador”.
  • Situa-se na região da garganta. Corresponde ao plexo laríngeo e está ligado às glândulas tireóide e paratireóide, que regulam o metabolismo do corpo. A glândula tireóide inclusive é reconhecida pela sua capacidade de desintoxicação. E nessa questão da desintoxicação, existe uma curiosidade, pois assim como o chakra frontal e o chakra do plexo solar são considerados purificadores para os pensamentos e karma, este chakra é considerado o purificador do próprio veneno.
  • Sua cor é o azul claro.
  • Seu bija mantra (som) que ativa este centro é o HAM.
  • Seu elemento é o éter, também conhecido pelo nome de akasha. Ele rege o pescoço e os ombros, seus órgãos de sentidos são os ouvidos e as cordas vocais.

Psicologia do Chakra Laríngeo

  • Sua função é a inspiração, a criatividade e a comunicação.
  • Possui relação com a tomada de responsabilidade pelas necessidades pessoais.
  • À medida que uma pessoa cresce, suas necessidades pessoais começam a ser depositadas sobre si mesma.
  • Também é o chacra relacionado ao recebimento do que quer que lhe esteja destinado e daquilo que se atrai para si mesmo.
  • A parte posterior está diretamente relacionada à vida profissional, além do sentido do eu da pessoa dentro da sociedade, da profissão e entre os iguais.
  • No livro “Teoria dos Chacras” tem uma curiosidade a respeito desse chakra, que seria ele o verdadeiro centro de recepção e comunicação com outros planos. Dando o exemplo da telepatia. Pode-se pensar que a transmissão e recebimento de pensamentos está sendo feito via chakra do plexo solar quando, na verdade, esse processo estaria sendo feito através do chakra laríngeo, e a partir dele as ondas de pensamento são distribuídas para os demais chakras.

Quando você se comunica de forma assertiva você não só equilibra seu chakra laríngeo e aumenta as chances de conseguir o que deseja, como também contribui para o aumento da consciência nas outras pessoas dessa prática tão importante. Você usa seu dom da comunicação para espalhar mais amor e compaixão pelo mundo.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.