No artigo de hoje, da série exercícios para movimentar e equilibrar as energias apresentarei algumas informações a respeito das asanas, seu significado e também certas observações e precauções.

 

O Que é Asana?

O verdadeiro significado da palavra asana é “postura”, trata-se de uma posição estática na qual o corpo e a mente permanecem serenos. As asanas são diferentes dos exercícios físicos e suas distinções são notáveis. Por exemplo, os exercícios físicos geralmente são realizados com movimentos rápidos e precisos, acompanhados de respiração rápida e muitas vezes acelerada. As asanas, no entanto, são realizadas com movimentos suaves, respiração profunda e concentração aguçada. Não necessita empreender esforços excessivos. Algumas respirações devem ser mantidas antes de o praticante retornar de forma lenta à posição inicial. Através das asanas, são tonificadas e estabilizadas as funções dos órgãos internos, dos músculos e dos sistemas nervosos.

Asana – Posição da cobra

História das Asanas

Segundo a tradição, teria sido o deus Shiva o criador da ioga (“yoga” em inglês) e das asanas. Shiva é um dos deuses supremos do hinduísmo, adorado pelos iogues como a divindade que liberta os seres humanos desse mundo. Conforme a antiga doutrina, a prática de asanas serve para libertar o indivíduo dos vínculos cármicos. Acredita-se que Shiva tenha criado 8.400.000 asanas e transmitindo-as à deusa Parvati, sua primeira discípula. Porém, apesar desse amplo número, apenas algumas centenas de asanas chegaram até os dias atuais depois de milhares de anos, e somente 84 delas estão descritas detalhadamente nas Escrituras sobre o tema.

Historicamente falando, o primeiro comentário existente sobre as asanas foi registrado pelo grande guru Goraknath, que viveu no século X a.C. Anterior a essa época, parece que os segredos da ciência iogue foram mantidos ocultos de todos, com exceção dos discípulos proeminentes. Contudo, hoje qualquer pessoa pode praticar ioga e estudar os seus ensinamentos. A ioga tem de fato, atraído adeptos de todo o mundo nas últimas décadas, um fenômeno que talvez possa ser atribuído à crescente necessidade de desenvolvimento mental e espiritual.

Classificação e Distinção das Asanas

Conforme a tradição, as asanas estão classificadas em três níveis de dificuldade – principiante, intermediário e avançado – os quais requerem de forma progressiva, níveis cada vez maiores de flexibilidade, de vigor fisico, de controle muscular, de respiração harmoniosa e de concentração mental. Existe outra distinção comum entre asanas, que são:

Asanas dinâmicas: São asanas que lembram exercícios físicos. Agem removendo a rigidez, fortalecendo os músculos e melhorando a cútis, favorecem a função dos pulmões e intensificam a atividade dos órgãos digestivos e excretores. São apropriadas para os iniciantes e incluem as asanas de “liberação de ar” (pawanmuktasana), a “saudação ao sol”, o estiramento das pernas, o arqueamento para a frente, a postura da “naja”, dentre outras.

Asanas estáticas: São as asanas que são praticadas mantendo-se uma posição imóvel durante alguns minutos, enquanto se respira serenamente. Elas proporcionam uma benéfica massagem nos órgãos internos, nas glândulas endócrinas e nos sistemas muscular e nervoso; também são ótimos exercícios preparatórios para a meditação, devido ao efeito relaxante e sereno que causam na mente. Essas asanas são praticadas com uma concentração mental sobre uma parte do corpo e incluem as posturas de lótus, do leão, dos ombros eretos etc.

Asana – Postura de Lotus

Observações e Precauções

Aqui algumas considerações e precauções que devem ser observadas antes de realizar a prática de asanas:

  • Esvazie a bexiga e o intestino antes de iniciar a prática de asanas;
  • O estômago deve estar vazio, sendo assim, espere pelo menos três ou quatro horas após alimentar-se para executar as asanas;
  • Não pratique sobre um colchão de ar ou de espuma; deve-se estirar um cobertor ou tapete apropriado no chão;
  • Vista roupas largas que sejam simples e confortáveis. Retire relógio de pulso, jóias e outros ornamentos;
  • Pratique numa sala silenciosa e bem ventilada. Ventos fortes, frios ou impuros devem ser evitados;
  • Certifique-se de que espaço é suficientemente amplo, livre de móveis, para poder esticar-se;
  • Um banho frio antes de iniciar a prática acentuará muito os efeitos das asanas.
  • Geralmente, respire pelas narinas (se possível), em harmonia com o movimento da asana;
  • As asanas devem ser praticadas dentro dos limites confortáveis à capacidade do praticante. Sendo assim, não sujeite os músculos e as articulações a um esforço ou tensão demasiados;
  • No caso de sofrer de doenças crônicas, tais como úlcera ou hérnia, pratique apenas as asanas adequadas ou nenhuma delas, seguindo a orientação de um professor qualificado;
  • Não realize as práticas após prolongado banho de sol;
  • A melhor hora para a prática da ioga é das quatro às seis da manhã (conforme disposto no livro Teoria do Chakras, referência para este post, porém de acordo com profissionais da área, as asanas podem ser realizadas em qualquer horário do dia, desde que sejam observadas as que são destinadas para cada horário, pois uma prática feita pela manhã deve ser diferente de uma prática feita a noite);
  • Execute as asanas vagarosamente, com uma intensa percepção do corpo. Se experimentar ligeira dor ou prazer, não reaja; simplesmente fique atento à sensação. Desse modo, você desenvolverá a concentração e a paciência;
  • Execute shavasana (postura do cadáver) no início e no fim da prática da asana, e sempre que sentir cansaço. Essa postura relaxa e revigora o corpo, enchendo-o de prana e equilibrando o fluxo.
  • Se estiver com gases intestinais ou com o sangue excessivamente impuro, não pratique as asanas invertidas (de cabeça para baixo). Isso impedirá que a toxina chegue ao cérebro, causando danos.
  • Se você sentir dor exagerada em alguma parte do corpo, pare imediatamente a prática e procure o conselho de um instrutor.
  • Uma dieta vegetariana não é indispensável (apesar de ser muito benéfica para a nossa saúde e consequentemente para o planeta e para os animais). Coma o suficiente para satisfazer o apetite, mas não em demasia a ponto de causar peso no estômago e digestão lenta.

 

Essas foram as informações sobre as asanas e as considerações importantes a serem observadas por todos aqueles que buscam a prática de yoga.

A referência para essa série de artigos com exercícios e explicações sobre as asanas e chakras está sendo o livro Teoria dos Chakras. Trata-se de um livro que traz explicações detalhadas sobre os chakras, sobre os nadis, bem como exercícios para o despertar dos chakras e para equilíbrio e expansão consciencial.

Clique na imagem abaixo para adquirir o livro Teoria dos Chakras:


Abraço a todos, sigam em paz buscando sua interiorização e seu aprimoramento interno regidos com muito amor e muita luz. ❤✨


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *